Muita música e nada mais! E da boa!!!! Não duvide disto! E sabe por quê? Porque música se ouve com o coração! "Se Deus cantasse, ele cantaria com a voz de Milton."; "Cantar não é trabalho: é devoção, é sacerdócio. E ser artista foi o que me deixou de pé. Foi para isso que eu vim."(Elis Regina)  

Letras de Música




by letras.mus.br

Uma melodia para os olhos, ouvidos e coração!


Intuição - Oswaldo Montenegro

Cifras e Tabs




by Cifra Club


VOU DEIXAR UNS MIDIS PRA VCS CURTIREM ENQUANTO PASSEIAM POR AQUI. BEIJOS!!!

OSWALDO MONTENEGRO MARIA RITA/MENINA DA LUA

OSVALDO MONTENEGRO/A LISTA MARIA RITA/AGORA SÓ FALTA VOCÊ

MILTON NASCIMENTO/TRAVESSIA MARIA RITA E MILTON NASCIMENTO/TRISTESSE

LEILA PINHEIRO/CATAVENTO E O GIRASSOL OSWALDO MONTENEGRO/BANDOLINS


Home Blogger da Autora Arquivos Mande-me e-mail

Quarta-feira, Março 30, 2005 PEÇA SUA MÚSICA TAMBÉM!!!
 
Um tempinho sem atualizar né? Feriado, trabalho e o tempo curto dá nisso! Mas de volta as atividades... Hoje é aniversário da Celine Dion e para comemorar escolhi uma música que não conhecia e nem sabia que ela cantava, mas me encantei pela letra. Acredito que isso também acontecerá com que passar por aqui!

Parabéns Celine!!!!



Celine Dion - Aun Existe Amor

Cuando te adormeces junto a mí
Entonces, no me quedan dudas
De que aun existe amor
La indecisión que hay en mí
Yo la mandaré a la luna
Para vivir contigo
La soledad de cada día
Que entre lágrimas crecía
La alejaré de mí
Para amarte a toda costa
Para amarte a cada momento
A pesar de tanto mal que gira en torno nuestro
Cuando te adormeces junto a mí
Entonces no me quedan dudas
Dé que aun existe amor
Sé que aun existe amor
Las discusiones de los dos
Saber quien tendrá la culpa
Qué nos importa ya
En nuestro mundo eterno y grande
Cariño mío nos amarémos
Mucho mucho más
Más allá de la violencia
Más allá de la locura
A pesar de tanto mal que nos separa
Cuando te adormeces junto a mí
Entonces, no me quedan dudas,
De que aun existe amor
Sé que aun existe amor
Sé que aun existe amor
Para amarte a toda costa
Para amarte cada momento
A pesar de tanto mal que gira en torno nuestro
Cuando te adormeces junto a mí,
Entonces, no me quedan dudas,
De que aun existe amor

Celine Dion - Aun Existe Amor (tradução)

Quando você adormece junto a mim
Então não me restam dúvidas
De que ainda existe amor

A indecisão que há em mim
Eu a mandaria para a lua
Para viver contigo
A solidão de cada dia
Que entre lágrimas crescia
Vou afastá-la de mim
Para amá-lo a todo custo
Para amá-lo a cada momento
Apesar de tanto mal
Que gira ao nosso redor
Quando você adormece junto a mim
Então não me restam dúvidas
De que ainda existe amor
Sei que ainda existe amor
As discussões dos dois
Saber quem terá a culpa
Que nos importa agora
No nosso mundo que é tão grande
Meu bem, nos amaremos
Muito muito mais...
Além da violência
Além da loucura
Apesar de tanto mal
Que não se acabará

Quando você adormece junto a mim
Então não me restam dúvidas
De que ainda existe amor
Sei que ainda existe amor
Sei que ainda existe amor

Quando você adormece junto a mim
Então não me restam dúvidas
De que ainda existe amor.

Comente e cante também o que quiser:
::: posted by HILCA MARIA HONORATO DOS SANTOS at 5:08 PM


Quarta-feira, Março 23, 2005 PEÇA SUA MÚSICA TAMBÉM!!!
 
PARABÉNS!!!!

Jorge Ben Jor - 23/03/1942 -

Tudo aconteceu muito rápido naquele 1963. Pouco depois de atuar em duas faixas como crooner no disco Tudo Azul do conjunto do organista da noite Zé Maria, o estreante Jorge Ben assinou contrato para gravar como solista na então gravadora Philips (atual Universal). Lançou um single em 78 rotações com as mesmas duas músicas que meses mais tarde puxariam seu LP inaugural Samba Esquema Novo para a marca incomum na época das 100 mil cópias vendidas. Mas, Que Nada e Por Causa de Você, Menina, as razões do fenômeno, voltam a circular nessa coletânea apoiadas no órgão (que hoje pode ser repaginado como lounge) de Zé Maria, a segunda sem a ênfase na pronúncia infantilizada "voxê", do disco solo, que causou polêmica e ajudou a impulsionar a carreira do noviço.

Dessa fase tateante, o disco salta para o repertório funkiado do Ben (já com o Jor) dos anos 90, rebocado pelo estouro de W Brasil, de 1991, onde o síndico Tim Maia é invocado (num épico ao vivo) como o autor para um repique de sucesso com a nova geração. A dupla pode ser ouvida na rascante Eu Quero Ver a Rainha. Outra particularidade do disco 2, dedicado às preciosidades, é Palco, raro momento em que Ben Jor visita outros autores, extraída do songbook de Gilberto Gil. No mais, o disco traz uma safra menos inspirada do samba/funkeiro (Pega Ela de Montão, Engenho de Dentro, Pisada de Elefante, Alcohol, Norma Jean e Dzarm, esta em quatro versões) e recicla os clássicos A Banda do Zé Pretinho, Que Maravilha, Os Alquimistas Estão Chegando, Filho Maravilha e País Tropical. Mesmo sem tanto gás, o alquimista Ben Jor dessa coletânea ainda bate um bolão.



Jorge Ben Jor - Ive Brussel

Você com essa mania sensual ....de sentir e me olhar
Você com esse seu jeito contagiante.... fiel e sutil de lutar
Não sei não, assim você acaba me conquistando
Não sei não, assim eu acabo me entregando
Pois está fazendo um ano e meio amor
Que eu estive por aqui
Desconfiado, sem jeito e quase calado
Quando fui bem recebido e desejado por você
Nunca como eu poderia esquecer amor
Ai, ai se naquele dia você foi tudo, foi demais pra mim
Ai, ai se naquele dia você foi tudo, fez de mim um anjo

Ive, Ive Ive Brussel, Brussel, Brussel, Brussel

Comente e cante também o que quiser:
::: posted by HILCA MARIA HONORATO DOS SANTOS at 10:39 AM


Segunda-feira, Março 21, 2005 PEÇA SUA MÚSICA TAMBÉM!!!
 


Chico Buarque - Trocando em Miúdos

Eu vou lhe deixar a medida do Bonfim
Não me valeu
Mas fico com o disco do Pixinguinha, sim!
O resto é seu

Trocando em miúdos, pode guardar
As sobras de tudo que chamam lar
As sombras de tudo que fomos nós
As marcas de amor nos nossos lençóis
As nossas melhores lembranças

Aquela esperança de tudo se ajeitar
Pode esquecer
Aquela aliança, você pode empenhar
Ou derreter

Mas devo dizer que não vou lhe dar
O enorme prazer de me ver chorar
Nem vou lhe cobrar pelo seu estrago
Meu peito tão dilacerado

Aliás
Aceite uma ajuda do seu futuro amor
Pro aluguel
Devolva o Neruda que você me tomou
E nunca leu

Eu bato o portão sem fazer alarde
Eu levo a carteira de identidade
Uma saideira, muita saudade
E a leve impressão de que já vou tarde.

Comente e cante também o que quiser:
::: posted by HILCA MARIA HONORATO DOS SANTOS at 11:46 AM


Quinta-feira, Março 17, 2005 PEÇA SUA MÚSICA TAMBÉM!!!
 
MPB Especial - TV Cultura - Quinta, dia 17, às 23h30 A cantora Elis Regina fala de sua trajetória musical, revela detalhes de seu relacionamento profissional com os cantores Gilberto Gil e Milton Nascimento, e conta histórias de sua infância e família. A intérprete canta as músicas Doente Morena, de Duda Machado e Gilberto Gil; Boa Noite, de Zé Maria de Abreu e Francisco Matoso; Upa Neguinho, de Edu Lobo e Gianfrancesco Guarnieri; Estrada do Sol, de Tom Jobim e Dolores Duran; Vou Deitar e Rolar e Falei e Disse, de Baden Powell e Paulo César Pinheiro.

Hoje Elis Regina Faria 60 anos

Regina Carvalho Costa Elis se descrevia assim: "Se ser geniosa, exigente e não gostar de ser passada para trás e ser mau-caráter, então eu sou." Uma índole vulcânica e explosiva, foi muitas vezes acusada de ser arrogante e antipática, embora os amigos não poupassem elogios a sua generosidade e companheirismo. Maldita para muitos, Elis tinha sempre a frase certeira, a mente afiada, propósitos firmes: "Cara feia pra mim é bode... Sou mais ardida que pimenta!". Polêmica, sim, mas fora dos palcos, porque em cima deles era e até hoje uma unanimidade. Dona de uma belíssima voz, excepcional técnica vocal e de uma sensibilidade vocal incomparável.

A voz de Elis soava como instrumento afinado, não perdendo, nem por um minuto, o carisma e a emoção em cada canção. Em menos de 21 anos de carreira, gravou 31 discos, onde imortalizou algumas das mais belas canções da música popular brasileira em interpretações mais do que apaixonadas. Descobriu talentos como Milton Nascimento, João Bosco, Renato Teixeira, Tim Maia e Ivan Lins.

A gauchinha tímida e recatada que começou a carreira cantando na rádio Farroupilha de Porto Alegre, cidade onde nasceu em 1945, deu lugar a uma mulher de personalidade forte e efusiva quando chegou ao Rio de Janeiro para tentar a sorte em 1964. Desde os 11 anos já fazia sucesso na provinciana Porto Alegre da década de 50, cantando no programa Clube do Gúri. A primeira vez que esteve na rádio para cantar, o nervosismo foi tanto que jorrou sangue do nariz sem parar, manchando o vestido branco de organdí que a mãe tinha feito para a ocasião tão especial. E foi assim até o fim da vida. Antes de qualquer apresentação, tremia, gaguejava e precisava do incentivo dos colegas para encarar a platéia.

No Rio de Janeiro, fez o primeiro show no antigo Bottle's, em Copacabana. As brigas e inimizades que Elis cultivou a vida inteira começaram a surgir nesse tempo, quando ainda tinha 17 anos e precisava se esconder do Juiz de Menores que de vez em quando aparecia por lá. Decepcionada com as constantes brigas entre os organizadores do show, um belo dia sumiu do mapa sem dar satisfações. Apareceu pouco tempo depois apresentando-se no bar vizinho, no primeiro de uma série de shows que faria com a dupla Miele e Ronaldo Boscoli. Nesta época, Elis criou os gestos que se tornariam sua marca registrada. Quando cantava, levantava os braços e girava-os como se fossem hélices de helicóptero. Por isso passou a ser chamada de Hélice. O apelido mais famoso seria dado por Vinícius de Moraes: Pimentinha

Uma palavra que exprime a miudeza física e a personalidade explosiva. Declarações bombásticas eram comuns nas entrevistas. Falou mal da Tropicália de Caetano e Gil, e mais tarde gravou músicas dos dois.

Desprezou a Bossa Nova do marido Ronaldo Boscoli, mas gravou com Tom Jobim e Roberto Menescal os melhores discos de sua carreira. Chamou os militares da ditadura de "gorilas", mas cantou na Olimpíada do Exército de 1972.

O talento era intuitivo, Elis nunca estudou canto, teoria musical nem aprendeu a tocar qualquer instrumento que fosse. E fez do palco sua morada, o único lugar onde ela reinava absoluta e por isso não dividia a glória com ninguém. "Separar-me do palco é a mesma coisa que castrar um garanhão", disse em 1969 numa entrevista a Clarice Lispector. A cada apresentação aprimorava mais sua performance e o sucesso veio a galope, na esteira da Bossa Nova. Consagrou-se em 1965, cantando Arrastão, de Edu Lobo e Vinícius de Moraes, no I Festival da TV Excelsior. Era então uma garota de 20 anos, mas costumava dizer que como cantora "tinha 40 anos bem vividos". Na TV Record, apresentou ao lado de Jair Rodrigues, o programa O Fino da Bossa, considerado até hoje um dos mais importantes da história da televisão brasileira. Com Jair gravou alguns de seus discos mais vendidos, Dois na Bossa volumes I, II e III.

Quando Elis casou-se com Ronaldo Boscoli ninguém entendeu. Eram inimigos. Boscoli chegou a produzir um show para a cantora Cláudia com o título Quem Tem Medo de Elis Regina? O cronista Carlinhos Oliveira escreveu: "Elis Regina terá o consolo de saber que a guerra do Vietnã é muito pior." Numa briga, Elis jogou fora a coleção completa de Frank Sinatra, ídolo do marido. Do casamento de poucos anos com o compositor, costumava dizer que só levou de bom o filho João Marcelo e um certo amadurecimento pessoal. Juntos protagonizaram brigas homéricas, geralmente em público.

Nessa época embarcou numa promissora carreira internacional, que só não deu mais certo porque não conseguia ficar muito tempo longe do Brasil. No Olympia de Paris, em 1968, foi ovacionada e voltou ao palco seis vezes depois do final do show.

Após temporada de sucesso na Europa, casou-se com o pianista e arranjador César Camargo Mariano, com quem viveu durante nove anos e teve dois filhos, Pedro e Maria Rita. Presença constante na televisão, tinha uma legião de fãs que compravam seus discos e iam aos shows. Falso Brilhante levou ao Teatro Bandeirantes mais de 280 mil pessoas em 257 apresentações, em São Paulo (1975/1976). Só Elis era capaz dessas coisas.

Em janeiro de 1982, cheia de planos para o novo disco e cantando melhor do que nunca, foi encontrada morta no apartamento onde morava no bairro nobre dos Jardins, em São Paulo, aos 36 anos. A causa: overdose da mistura de cocaína com álcool. O vulcão apagou, mas no dia seguinte os muros do País amanheceram com uma frase pichada pelos fãs: "Elis vive."

"Sua voz será de todas as canções, sua alma de todos os corações"



Comente e cante também o que quiser:
::: posted by HILCA MARIA HONORATO DOS SANTOS at 9:28 AM


Terça-feira, Março 15, 2005 PEÇA SUA MÚSICA TAMBÉM!!!
 


Oswaldo Viveiros Montenegro nasceu em 15 de março de 1956, no Grajaú, Rio de Janeiro, filho mais velho de quatro irmãos. Sempre adorou ler e devorava coleções de Júlio Verne, Monteiro Lobato, Malba Tahan.
Aos 7 anos mudou-se para São João Del Rey, Minas Gerais, onde passou boa parte da infância. O espírito seresteiro de Minas influenciou toda a vida de Oswaldo. À noite, pulava a janela de casa para acompanhar amigos de seu pai em serestas noturnas para namoradas. Apaixonado por essa música tão viva e presente em seu dia a dia começou, aos 8 anos, a estudar violão com um desses seresteiros e compôs sua primeira canção, "Lenheiro", nome do rio que corta a cidade.

Aos 13 anos, já de volta ao Rio de Janeiro, venceu seu primeiro festival, com a "Canção Pra Ninar Irmã Pequena", música que mais tarde gravaria na trilha do vídeo "O Vale Encantado", com o título "Canção Pra Ninar Gente Pequena".

(Este é só um trechinho, o resto da história dele você lê aqui)

AGENDA CHEIA!!!

Março 2005

04 - Praça da Pontinha - Araruama / RJ - show "Oswaldo Montenegro 25 anos de histórias".
05 - Teatro da UFPE - Recife / PE - show "Oswaldo Montenegro 25 anos de histórias".
15 - Palco MPB FM - rádio MPB FM / RJ - show "Oswaldo Montenegro 25 anos de histórias".

- rádio e TV
01 - Apresentação do programa "Tipos", no Canal Brasil (NET), às 19:05 hs. e às 21:45 hs.
05 - Apresentação do programa "Tipos", no Canal Brasil (NET), às 14:00 hs.
08 - Apresentação do programa "Tipos", no Canal Brasil (NET), às 19:05 hs. e às 21:45 hs.
12 - Apresentação do programa "Tipos", no Canal Brasil (NET), às 14:00 hs.
15 - Apresentação do programa "Tipos", no Canal Brasil (NET), às 19:05 hs. e às 21:45 hs.
19 - Apresentação do programa "Tipos", no Canal Brasil (NET), às 14:00 hs.
22 - Apresentação do programa "Tipos", no Canal Brasil (NET), às 19:05 hs. e às 21:45 hs.
26 - Apresentação do programa "Tipos", no Canal Brasil (NET), às 14:00 hs.
29 - Apresentação do programa "Tipos", no Canal Brasil (NET), às 19:05 hs. e às 21:45 hs.

Abril 2005

01 e 02 - Olympia - São Paulo / SP - show "Oswaldo Montenegro 25 anos de histórias".
09 - Cine Theatro Central - Juiz de Fora / MG - show "Oswaldo Montenegro 25 anos de histórias".

Maio 2005

14 - Teatro Glória - Vitória / ES - show "Oswaldo Montenegro 25 anos de histórias".

Aos Filhos de Peixes (Oswaldo Montenegro)

É peixe quando pula e descortina
a clara possibilidade de mudar de opinião
é peixe quando sem ligar a seta muda o rumo
inverte a coisa, embola o pensamento e então ...
épeixe quando o germe da loucura
se transforma em claridade e anda pela contramão
épeixe quando anda no oceano de quarenta correntezas
sem nenhuma embarcação
épeixe quando salta o precipício da responsabilidade
e tem uma queda pra ilusão
é peixe quando anda contra o vento, desafia o sofrimento
e carrega o mundo com a mão
épeixe quando a luz do misticismo
se transforma na procura do princípio e da razão
épeixe quando anda no oceano de quarenta correntezas
sem nenhuma embarcação

Comente e cante também o que quiser:
::: posted by HILCA MARIA HONORATO DOS SANTOS at 8:29 AM


Sexta-feira, Março 11, 2005 PEÇA SUA MÚSICA TAMBÉM!!!
 
Segue a agenda de show de Março e Abril desta moça linda!!!



MARÇO

11/03 - Campinas / SP - Clube de Regatas

12/03 - Limeira / SP - Nosso Clube

17/03 - Santo André / SP - Clube Araçamam

18/03 - São Vicente / SP - Ilha Porchat Clube

19/03 - Mogi das Cruzes / SP - Clube de Campo

ABRIL

01/04 - Recife / PE - Chevrollet Hall

02/04 - Fortaleza / CE - Mucuripe

09/04 - São Paulo / SP - Credicard Hall

10/04 - São Paulo / SP - Credicard Hall


Comente e cante também o que quiser:
::: posted by HILCA MARIA HONORATO DOS SANTOS at 9:51 AM


Quarta-feira, Março 09, 2005 PEÇA SUA MÚSICA TAMBÉM!!!
 
Vinicius de Moraes - Onde anda você
Composição: Vinicius de Moraes / Hermano Silva


E por falar em saudade
Onde anda você
Onde andam os seus olhos
Que a gente não vê
Onde anda esse corpo
Que me deixou morto
De tanto prazer

E por falar em beleza
Onde anda a canção
Que se ouvia na noite
Dos bares de então
Onde a gente ficava
Onde a gente se amava
Em total solidão

Hoje eu saio na noite vazia
Numa boemia sem razão de ser
Na rotina dos bares
Que apesar dos pesares
Me trazem você

E por falar em paixão
Em razão de viver
Você bem que podia me aparecer
Nesses mesmos lugares
Na noite, nos bares
Onde anda você

Comente e cante também o que quiser:
::: posted by HILCA MARIA HONORATO DOS SANTOS at 8:59 AM


Terça-feira, Março 08, 2005 PEÇA SUA MÚSICA TAMBÉM!!!
 


QUEM É VANESSA DA MATA ...

Vanessa da Mata nasceu em 1975, em Alto da Graça, no Mato Grosso. A cidade de apenas 8 mil habitantes fica a 400 quilômetros da capital, Cuiabá. Desde pequena sabia que ia ser cantora, mas o pai queria a carreira médica para a menina. Vanessa usou o pretexto que precisava estudar em um colégio mais forte e aos 14 anos mudou-se para Uberlândia. Em Minas Gerais começou a cantar em bares nas folgas dos estudos. Mas foi em São Paulo que a carreira se iniciou, cedo, com 17 anos. Cantou em diversos lugares e com várias bandas e artistas. Tocou com Shalla-bal, banda só de mulheres, Black Uhuru, que tocava reggae e depois no grupo Mafuá, de Tião Carvalho.

Em São Paulo, foi atrás de Chico César. Logo iniciaram uma parceria, que deu como principal fruto A Força que Nunca Seca. Em 99 montou um show. As músicas foram apresentadas apenas em São Paulo em diversos shows. A exibição de alguns programas na TV Cultura, como Bem Brasil, Ensaio e Rumos Musicais, deu a chance aos outros estados conhecerem a música de Vanessa da Mata. Dai-me, Sem Saída, Valsa do Sorrir, Acode, Quem Chorou, Folia com os Reis e Zuma. Além de Se Eu Fosse Mais Do Que Posso e Canto das Três Raças.

Viagem e A Força que Nunca Seca se destacavam no repertório. A segunda foi parar nas mãos de Maria Bethania em 99, que logo gravou no CD que tem a canção como título. Chico César gravou também a canção no CD Mama Mundi. Mas foi na voz de Bethania que a música concorreu no Grammy Latino na categoria melhor canção. Depois foi Daniela Mercury, mas desta vez a música escolhida foi Viagem. O arranjo diferente deu nova cara à música. Bethania quis mais e em 2001 e 2002 gravou em dois CDs outra canção, O Canto de Dona Sinhá.

Vários acontecimentos marcaram o início da carreira solo de Vanessa. Milton Nascimento a convidou para cantar em seu show. Bethania fez o mesmo, mas ainda havia a presença de Caetano Veloso no palco. Fez parceria com Ana Carolina, que incluiu a música no segundo CD de seu carreira. Amadurecida, Vanessa podia dar início a produção do CD.

Aos 26 anos, em 2002, Vanessa lançou seu tão esperado primeiro CD, que levou o nome da cantora. Mais de um ano depois de anunciado o contrato com a Sony, pois o processo foi lento. Meses no Rio de Janeiro, produção especial de Jaques Morelenbaum, participação de Marcos Suzano e o CD na mão no final de 2002. Vanessa fez suspense, não dizia qual era o repertório escolhido. Quem acompanhava a carreira da cantora acreditava que a base do CD seria seu show, apresentado entre 1999 e 2001. Enganou a todos. O repertório não incluia nem Joazinho, nem qualquer outra música de Vanessa nunca gravada. As única canções já apresentadas ao público anteriormente, Viagem e A Força que Nunca Seca, ambas gravadas por outros cantores, estão no CD. Vanessa conquistou a crítica, às vezes até comparada com Marisa Monte.

DISCOGRAFIA

Por enquanto, único CD!



Vanessa da Mata

1. Não me Deixe Só (Vanessa da Mata)
2. Onde Ir (Vanessa da Mata)
3. Alegria (Assis Valente e Durval Maia)
4. Viagem (Vanessa da Mata)
5. Case-se Comigo (Vanessa da Mata e Liminha)
6. Delírio (Vanessa da Mata)
7. Carta - Ano de 1890 (Vanessa da Mata)
8. Eu Não Tenho (Vanessa da Mata e Lokua Kanza)
9. Longe Demais (Vanessa da Mata e Liminha)
10. A Força que Nunca Seca (Vanessa da Mata e Chico César)
11. Bem da Vida (Vanessa da Mata)

Produção: Jacques Morelenbaum, Luiz Brasil, Dadi & Kassin, Liminha, Swami Jr. e Vanessa da Mata
Participações especiais: Jacques Morelenbaum, Luiz Brasil, Swami Jr. e Marcos Suzano
2002 - Sony Music


PARTICIPAÇÕES EM OUTROS CD's

Álbuns especiais

Esperança - Trilha sonora: a trilha nacional da novela Esperança conta com Onde Ir, música inédita que está no primeiro CD de Vanessa em outros projetos

Maria Bethania - 25 anos de carreira: Vanessa cantou ao lado de Bethania e Caetano Veloso no show realizado no Canecão, no Rio de Janeiro
Milton Nascimento - Crooner: Vanessa foi convidada de Milton para se apresentar no intervalo do show em São Paulo.

Celebridade - Trilha sonora: a trilha nacional da novela Celebridade conta com Nossa Canção, música inédita que está no primeiro CD de Vanessa

AGENDA PARA O MÊS DE MARÇO

06/03: Parque do Ibirapuera (Vanessa da Mata & Milton Nascimento) - SP
10/03: Canecão - Show da Rádio J.B.) - Rio de Janeiro
11/03: Teatro Castro Alves - Salvador BA



Vanessa Da Mata - Nossa Canção
Composição: Luiz Ayrão


Olha aqui
Preste atenção
Esta é a nossa canção
Vou canta-la seja aonde for
Para nunca esquecer o nosso amor
Veja bem, foi você
A razão e o porquê
De nascer esta canção assim
Pois você é o amor
que existe em mim
Vocé partiu E me deixou
Nunca mais você voltou
Pra me tirar da solidão
E até você voltar
Meu bem eu vou cantar
Esta nossa canção

Comente e cante também o que quiser:
::: posted by HILCA MARIA HONORATO DOS SANTOS at 5:36 PM


 
8 de março!!! Dia Internacional da Mulher.Parabéns a nós e a todos que cantaram a nós também!!!!



Mulheres do Brasil
[Music & Lyrics: Joyce]


no tempo em que a maçã foi inventada
antes da pólvora, da roda e do jornal
a mulher passou a ser culpada
pelos deslizes do pecado original.
guardiã de todas as virtudes
santas e megeras, pecadoras e donzelas
filhas de Maria
ou deusas lá de Hollywood
são irmãs porque a mãe Natureza
fez todas tão belas.

oh! mãe, oh! mãe
nossa mãe, abre o teu colo generoso
parir, gerar, criar e provar
nosso destino valoroso.

são donas-de-casa
professoras, bailarinas
moças operárias, prostitutas meninas
lá do breu das brumas,

vem chegando a bandeira
saúda o povo e pede passagem
a mulher brasileira.

Essa Mulher
[Music: Joyce. Lyrics: Ana Terra]


de manhã cedo, essa senhora se conforma
bota a mesa, tira o pó
lava a roupa seca os olhos
ah, como essa santa não se esquece
de pedir pelas mulheres,
pelos filhos, pelo pão
depois sorri meio sem graça e abraça
aquele homem, aquele mundo
que a faz assim feliz.

de tardezinha, essa menina se namora
se enfeita, se decora,
sabe tudo, não faz mal
ah, como essa coisa é tão bonita
ser conora, ser artista,
isso tudo é muito bom
e chora tanto de prazer e de agonia
de album dia, qualquer dia,
entender de ser feliz.
de madrugada, essa mulher
faz tanto estrago
tira a roupa, faz a cama,
vira a mesa seca o bar
ah, como essa louca se esquece
quantos homens enlouquece
nessa boca, nesse chão

depos parece que acha graça e agradece
ao destino, aquilo tudo
que a faz tão infeliz.
essa menina, essa mulher, essa senhora
em quem esbarro a toda hora
no espelho casual é feita de sombra e tanta luz
de tanta lama e tanta cruz
que acha tudo natural

Da Cor Brasileira
[Music: Joyce . Lyrics: Ana Terra]


de quem falo me acha direita
se casa comigo, se rola e se deita
me namora quando não devia
quando eu queria, me deixa na mesa
de quem falo me fala macio
e finge que entende o que nem escutou
me adora e me quer tão-somente
enquanto o que mente é o que
acreditou
esse homem que passa na rua
que encontro na festa e me vira a cabeça
é aquele que me quer só sua
e ao mesmo tempo que eu seja mais uma
de quem falo ele é feio e bonito
mais velho e menino
meu melhor amigo
é o homem da cor brasileira
a loucura, a besteira
que dorme comigo.

Feminina
[Music & Lyrics: Joyce]


ô mãe,
me explica, me ensina, me diz
o que é feminina?
não é no cabelo, no dengo ou no olhar
é ser menina por todo lugar
ô mãe, então me ilumina,
me diz como é que termina
termina na hora de recomeçar
dobra uma esquina no mesmo lugar
costura o fio da vida só pra poder cortar
depois se larga no mundo
pra nunca mais voltar
prepara e bota na mesa com todo
paladar
depois acende outro fogo,
e deixa tudo queimar.
ô mãe,
me explica, me ensina, me diz
o que é feminina?
não é no cabelo, no dengo ou no olhar
é ser menina por todo lugar
ô mãe, então me ilumina,
me diz como é que termina
termina na hora de recomeçar
dobra uma esquina no mesmo lugar
e esse mistério estará sempre lá
feminina e menina no mesmo lugar.

Outras Mulheres
[Music: Joyce . Lyrics: Paulo César Pinheiro]


meu corpo é pedra em que nascem
corais, sargaços e liquen
que os homens todos me abracem
só quero aqueles que fiquem.
gosto, meu bem, de andar nua
me pinto feito arco-iris
jamais me tires da rua
porque jamais serei tua
se tu não me repartires.
senti paixão por um bando
escorreguei como os peixes
por isso eu peço que quando
senires que já estou te amando
eu quero é que tu me deixes.
sou de ceder minhas graças
náo sou aquela que queres
pertenção ao rol das devassas
não quero que tu me faças
igual às outras mulheres.

O LADO QUENTE DO SER
(Marina Lima/Antônio Cícero)


Eu gosto de ser mulher
Sonhar arder de amor
Desde que sou uma menina
De ser feliz e sofrer
Com quem eu faça calor
Esse querer me ilumina
E eu não quero amor
Nada de menos
Dispense os jogos desses mais ou menos
Prá que pequenos vícios
Se o amor são fogos que se acendem
Sem artifícios
Eu já quis ser bailarina
São coisas que eu não esqueço
E continuo ainda a sê-las
Minha vida me alucina
É como um filme que faço
Mas faço melhor ainda
Do que as estrelas
Então eu digo amor
Chegue mais perto
E prove ao certo qual é o meu sabor
Ouça meu peito agora
Venha compor uma trilha sonora
Prá o amor
Eu gosto de ser mulher
Que mostra mais o que sente
O lado quente do ser
E canta mais docemente

Chico Buarque - Mulher, Vou Dizer Quanto Eu Te Amo

Mulher, vou dizer quanto eu te amo
Cantando a flor
Que nós plantamos
Que veio a tempo
Nesse tempo que carece
Dum carinho, duma prece
Dum sorriso, dum encanto

Mulher, imagina o nosso espanto
Ao ver a flor
Que cresceu tanto
Pois no silêncio mentiroso
Tão zeloso dos enganos
Há de ser pura
Como o grito mais profano
Como a graça do perdão
E que ela faça vir o dia
Dia a dia mais feliz
E seja da alegria
Sempre uma aprendiz
Eu te repito
Este meu canto de louvor
Ao fruto mais bendito
Desse nosso amor

Comente e cante também o que quiser:
::: posted by HILCA MARIA HONORATO DOS SANTOS at 9:22 AM


Quarta-feira, Março 02, 2005 PEÇA SUA MÚSICA TAMBÉM!!!
 


Chico Buarque - Sob Medida

Se você crê em Deus
Erga as mão para os déus
E agradeça
Quando me cobiçou
Sem querer acertou
Na cabeça
Eu sou sua alma gêmea
Sou sua fêmea
Seu par, sua irmã
Eu sou seu incesto (seu jeito, seu gesto)
Sou perfeita porque
Igualzinha a você
Eu não presto
Eu não presto

Traiçoeira e vulgar
Sou sem nome e sem lar
Sou aquela
Eu sou filha da rua
Eu sou cria da sua
Costela
Sou bandida
Sou solta na vida
E sob medida
Pros carinhos seus
Meu amigo
Se ajeite comigo
E dê graças a Deus

Se você crê em Deus
Encaminhe pros céus
Uma prece
E agraceça ao Senhor
Você tem o amor
Que merece

Chico Buarque - Eu te amo

Ah, se já perdemos a noção da hora
Se juntos já jogamos tudo fora
Me conta agora como hei de partir

Se, ao te conhecer
Dei pra sonhar, fiz tantos desvarios
Rompi com o mundo, queimei meus navios
Me diz pra onde é que inda posso ir

Se nós nas travessuras das noites eternas
Já confundimos tanto as nossas pernas
Diz com que pernas eu devo seguir

Se entornaste a nossa sorte pelo chão
Se na bagunça do teu coração
Meu sangue errou de veia e se perdeu

Como, se na desordem do armário embutido
Meu paletó enlaça o teu vestido
E o meu sapato inda pisa no teu

Como, se nos amamos feito dois pagãos
Teus seios inda estão nas minhas mãos
Me explica com que cara eu vou sair

Não, acho que estás te fazendo de tonta
Te dei meus olhos pra tomares conta
Agora conta como hei de partir.

Comente e cante também o que quiser:
::: posted by HILCA MARIA HONORATO DOS SANTOS at 10:31 AM


 
HOJE É ANIVESÁRIO DE BON JOVI!!!!



O Bon Jovi surgiu em 1983, em New Jersey. Depois de várias tentativas, Jon Bon Jovi, o líder e vocalista, conseguiu se firmar numa banda de rock.


Bon Jovi - Misunderstood
Bon Jovi - Mal interpretado (tradução)


Should I? Could I?
Have said the wrong things right a thousand times
If I could just rewind, I see it in my mind
If I could turn back time, you'd still be mine

Eu deveria? Poderia?
Disse certo as coisas erradas um milhão de vezes
Se pudesse apenas voltar, veria na minha mente
Se pudesse voltar no tempo, você ainda seria minha


You cried, I died
I should have shut my mouth, things headed south
As the words slipped off my tongue, they sounded dumb
If this old heart could talk, it'd say you're the one
I'm wasting time when I think about it
Chorus: I should have drove all night, I would have run all thelights
I was misunderstood
I stumbled like my words, Did the best I could
Damn, misunderstood

Você chorou, eu morri
Deveria ter calado minha boca, as coisas pioraram
Quando as palavras saíram da minha boca, soaram estúpidas
Se esse coração velho pudesse falar, diria que você é a única
Estou perdendo tempo pensando nisso
Refrão: Deveria ter dirigido a noite toda, teria corrido por todos os semáforos
Fui mal interpretado
Tropecei como minhas palavras
Fiz o melhor que pude
Droga, mal interpretado


Could I? Should I?
Apologize for sleeping on the couch that night
Staying out too late with all my friends
You found me passed out in the yard again

Eu poderia?Deveria
Me desculpar por ter dormido no sofá aquela noite
Ficando fora até tarde com meus amigos
Você me achou desmaiado no quintal de novo


You cried, I tried
To stretch the truth, but didn't lie
It's not so bad when you think about it

Você chorou, eu tentei
Deturpar a verdade, mas não menti
Não é tão mal quando pensa nisso


Chorus: I should have drove all night, I would have run all thelights
I was misunderstood
I stumbled like my words, did the best I could
Damn, misunderstood
Intentions good

Refrão: Deveria ter dirigido a noite toda,
Teria corrido por todos os semáforos
Fui mal interpretado
Boas intenções


It's you and I, just think about it...

É você e eu, pense nisso...

Chorus: I should have drove all night
I would have run all the lights
I was misunderstood
I stumbled like my words, did the best I could
I 'm hanging outside your door
I've been here before
Misunderstood
I stumbled like my words, did the best I could
Damn, misunderstood
Intentions good.

Refrão: Deveria ter dirigido a noite toda
Teria acendido todas as luzes
Fui mal interpretado
Tropecei como minhas palavras
Fiz o melhor que pude
Estou esperando em sua porta
Já estive aqui antes
Mal interpretado
Tropecei como minhas palavras, fiz o melhor que pude
Droga, mal interpretado
Boas intenções


Comente e cante também o que quiser:
::: posted by HILCA MARIA HONORATO DOS SANTOS at 10:05 AM


 


Alanis Morissette - Everything

I can be a nightmare of the grandest kind
I can withhold like it¿s going out of style
I have the bravest heart that you¿ve ever seen
And you¿ve never met anyone who's as positive as I am sometimes

You see everything, you see every part
You see all my light and you love my dark
You dig everything of which I'm ashamed
There's not anything to which you can¿t relate
And you¿re still here

I blame everyone else, not my own partaking
My passive-aggressiveness can be devastating
I'm the most gorgeous woman that you¿ve ever known
And you¿ve never met anyone who's as everything as I am sometimes

You see everything, you see every part
You see all my light and you love my dark
You dig everything of which I'm ashamed
There's not anything to which you can¿t relate
And you¿re still here

What I resist, persists, and speaks louder than I know
What I resist, you love, no matter how low or high I go

You see everything, you see every part
You see all my light and you love my dark
You dig everything of which I'm ashamed
There's not anything to which you can¿t relate
And you¿re still here

And you¿re still here
And you're still here...

Alanis Morissette - Tudo (tradução)

Posso ser um pesadelo dos grandes
Posso desistir e até mudar de estilo
Eu tenho o coração mais bravo que você já viu
E você nunca conheceu ninguém tão positivo quanto eu sou às vezes

Você vê tudo e toda parte
Você vê minha luz e ama minha escuridão
Você vê tudo de que tenho vergonha
Não há nada que você não possa possa relatar
E ainda assim você continua lá

Eu culpo a todas as demais pessoas, não a mim mesma
Minha passiva agressão pode ser devastadora
Sou a mulher mais sábia que você já conheceu
E você nunca conheceu alguém tão tudo como eu sou às vezes

Você vê tudo e toda parte
Você vê minha luz e ama minha escuridão
Você vê tudo de que tenho vergonha
Não há nada que você não possa relatar
E ainda assim você continua lá

O que eu resisto, persisto e falo mais alto do que eu sei
O que eu resisto você ama não importado quão baixo ou alto eu vá

Comente e cante também o que quiser:
::: posted by HILCA MARIA HONORATO DOS SANTOS at 9:38 AM




Powered by Blogger
Contador
hits.


Hilca Honorato-Copyright © 2004 - Proibida reprodução total ou parcial